Seleções Fanzines da Casa da Ponte: Entrevistas com Fugazi, CRASS, Lag Wagon, Bad Religion, White Christian Disaster, Mukeka di Rato, Anões de Jardim, Ornitorrincos, Câmbio Negro

Fanzines-casadaponte-Entrevistas-Fugazi-CRASS-LagWagon-BadReligion-WhiteChristianDisaster-MukekadiRato-AnoesdeJardim-Ornitorrincos-CambioNegro

Uma das coisas que sempre gostei nos fanzines é a falta de compromisso com certas regras de relacionamento entre artistas e fãns. Isso se deve tanto por parte de quem publica estas revistas independentes quanto por parte de muitos músicos e bandas, que interagem entre si de forma muito próxima, como nestas entrevistas encontradas na coleção de Fanzines da Casa da Ponte.

Entre os que se envolvem com fanzines, principalmente com temas ligados à música, rock, harcore/punk, é comum observar um “anti-heroísmo” e o clássico espírito “faça você mesmo”. Isso se traduz, por um lado, em bandas e músicos que literalmente se misturam à quem os assiste, e por outro, em um público que interage em shows e aprecia os materiais e gravações das bandas em um nível muito próprio. Me lembrei de uma frase em um encarte de disco do Operation Ivy (provavelmente de 1989), que sempre me chamou atenção, que de modo geral dizia que ‘aquele momento de energia em um show, que conduz uma subcultura, é mais importante que uma banda ou outra em particular’. Isso se reflete nos fanzines na forma como se dá o contato com bandas em entrevistas. Editores interagem diretamente com os integrantes, que na mesma sintonia, se põe à disposição com muita facilidade. Você pode até pensar que apenas bandas “pequenas” se dedicam a ter este tipo de contato próximo com o público mas, me arrisco a dizer, que certas bandas nunca se tornaram “grandes” justamente por se comportarem de forma diferente, não por falta de oportunidade entre o pessoal “super estrela”, mas como parte de um modo de agir com o objetivo de não perder contato com a vida real. E sem prejuízos sérios à uma carreira como músicos. Mas como disse, é apenas minha especulação particular.

Enfim, seguem algumas indicações de entrevistas encontradas nos fanzines já digitalizados da coleção da Casa da Ponte.

 

Um abraço!

 

Silly Me #2    –    Klaus, do White Cristian Disaster

Needle #2 Ano1    –    Fugazi, entre outras.

Podre Queijo #2    –    Mukeka di Rato.

Needle #4 Ano 3    –    Lag Wagon e outras bandas.

Needle #3 Ano 2    –    BrianBaker (Bad Religion, desde 1994)

The Crew HC Zine    –    Anões de Jardim

Aktivaj 02    –    Gee Vaucher da banda CRASS

Desvio de Aluguel    –    Ornitorrincos

Aaah!!#4    –    Câmbio Negro, entre outras.

 

Ricardo GosWod

 

#Fanzines #casadaponte #Entrevistas #Fugazi #CRASS #LagWagon #BadReligion #WhiteChristianDisaster #MukekadiRato #AnoesdeJardim #Ornitorrincos #CambioNegro

Talvez você também goste:

Fala aí ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *